Home  / Notícias   /  

Notícias

23 de novembro de 2021

DCTFWeb

Fique atento às principais dúvidas para entrega da DCTFWeb

 

1 – O valor calculado pela DCTFWeb está diferente do calculado pela minha folha de pagamento, como proceder? 

  

Nessa situação, precisamos realizar algumas conferências:  

  

a) Conferir a classificação tributária da empresa; 

b) Conferir códigos do FPAS e Terceiros; 

c) Conferir o índice do FAP – Lembre-se: A DCTFWeb busca o FAP no site oficial. 

Confira se o FAP informado em seu sistema de folha é o mesmo disponibilizado no site oficial. 

  

CASO ENCONTRE ERROS NOS ITENS ACIMA: 

a) Exclua os eventos S-1200, S-1210 e S-1299 que já foram gerados; 

b) Acesse seu sistema de folha, corrija os itens, coloque no campo data de validade 01/10/2021 e envie novamente ao eSocial; 

c) Acesse o portal do eSocial e corrija as informações, se for necessário, sempre com data de validade 01/10/2021; 

d) Refaça e envie os eventos S-1200 e S-1210; 

e) Refaça e envie o evento S-1299; 

f) Acesse a DCTFWeb e realize as conferências. 

  

2 – Minha empresa é optante pelo Simples Nacional e a DCTFWeb está calculando a cota patronal que não é devida, o que faço? 

  

Faça todas as conferências e correções indicadas na pergunta 1, com especial atenção à classificação tributária. 

  

Atenção: Classificação tributária para as empresas do Simples: 

Classificação tributária 01 - Empresa enquadrada no regime de tributação Simples Nacional com tributação previdenciária substituída (empresas que contribuem nos Anexos I, II, III ou V da LC nº 123-2006) 

Classificação tributária 02 - Empresa enquadrada no regime de tributação Simples Nacional com tributação previdenciária não substituída (empresas que contribuem exclusivamente no Anexo IV da LC nº 123-2006) 

Classificação tributária 03 - Empresa enquadrada no regime de tributação Simples Nacional com tributação previdenciária substituída e não substituída (empresas que têm atividades enquadradas nos Anexos I, II, III ou V e exercem, simultaneamente atividades do Anexo IV da LC nº 123-2006) 

Classificação tributária 04 – MEI (microempreendedor individual) com empregados 

FPAS e Terceiros – Empresas do simples devem informar o FPAS conforme a atividade e o código de terceiros como “0000”. 

  

Classificação tributária 03 - Informações: 

  

a) As empresas optantes pelo Simples Nacional com a contribuição previdenciária substituída e não substituída concomitantemente (empresas que têm atividades enquadradas nos Anexos I, II, III ou V e exercem, simultaneamente atividades do Anexo IV da LC nº 123-2006) devem informar no campo indicador de contribuição substituída (campo {indSimples}) se a remuneração de cada um dos seus empregados está substituída, parcialmente, totalmente ou se não há substituição da contribuição patronal. Este campo está no evento S-1200. 

b) As empresas optantes pelo Simples Nacional com a contribuição previdenciária substituída e não substituída concomitantemente (empresas que têm atividades enquadradas nos Anexos I, II, III ou V e exercem, simultaneamente atividades do Anexo IV da LC nº 123-2006) devem também preencher o evento “S-1280 – Informações Complementares aos Eventos Periódicos” 

Clique aqui para saber mais sobre o Simples Nacional no eSocial. 

  

3 – Fiz todas as correções e o DARF emitido pela DCTFWeb continua com valores divergentes. O que fazer? 

  

Nesta situação: 

a) Editar DARF: Acessar a função editar DARF na DCTFWeb e desmarcar os valores indevidos, caso esta seja a sua situação (por exemplo empresas do Simples em que a cota patronal está sendo calculada indevidamente). A utilização da função está explicada no Manual da DCTFWeb, item 16.5.2, pág. 87. 

  

b) Pagar em GPS avulsa e, após, realizar a conversão deste pagamento em DARF, conforme procedimentos explicados na pergunta nº 6 abaixo. 

  

4 – Como faço para deduzir os valores do salário-maternidade? 

  

a) O salário maternidade da competência corrente (por ex. salário maternidade pago na folha da competência 10/2021) será deduzido normalmente da contribuição previdenciária devida, através da informação da folha de pagamento e do processamento da DCTFWeb da competência 10/2021. 

b) O crédito excedente do salário maternidade (o valor que "sobrou" na dedução da folha de pagamento), deverá ser objeto de pedido de reembolso através do sistema PERD/Comp. No PERD/Comp será informada a conta bancária da empresa para devolução do valor. Esse crédito excedente não será utilizado na DCTFWeb. 

Por exemplo: 

Salário maternidade na folha de pagamento de 10/2021 = R$ 4 mil 

Valor deduzido na folha de pagamento de 10/2021 = R$ 3 mil 

Valor que deverá ser pedido reembolso em PER/DComp = R$ 1 mil 

c) Créditos de salário maternidade acumulados, anteriores à competência 10/2021 deve ser solicitado reembolso, via PERD/Comp, relacionando o crédito mês a mês e informando os valores já deduzidos em GFIP, restando, assim, o valor a ser devolvido pela RFB. 

Para as operações de reembolso deve ser utilizado o programa gerador do PERD/Comp.  

  

5 – Como faço para compensar os valores da retenção previdenciária de 11% em nota fiscal? 

  

A partir da implementação da DCTFWeb a compensação de créditos da retenção de 11% (Lei 9.711/98) vai acontecer da seguinte forma:    

  

a) CRÉDITOS (notas ficais) A PARTIR DA COMPETÊNCIA 10/2021 - A retenção deverá ser informada na EFD-Reinf pela prestadora de serviços no evento "R-2020 - Retenção de contribuição previdenciária – serviços prestados". O crédito da competência será aproveitado de forma automática na DCTFWeb e o excedente, que "sobrou" da competência, pode ser objeto de pedido de compensação ou de restituição no PERD/Comp Web, disponível no eCac.   

  

b) CRÉDITOS AINDA NÃO APROVEITADOS E JÁ DECLARADOS EM REINF - Os créditos que o contribuinte não aproveitou na GPS, mas que já foram declarados na EFD-Reinf, podem ser objeto de pedido de compensação ou de restituição no PERD/Comp Web. Deverá ser solicitado o crédito separado por competência, conforma a data de emissão da NF. Nessa situação o PERD/Comp Web irá importar as retenções declaradas na EFD-Reinf.     

  

c) CRÉDITOS ANTERIORES A OBRIGATORIEDADE DA EFD-Reinf -  Para competências anteriores à obrigatoriedade da EFD-Reinf, o contribuinte deverá fazer previamente o pedido de restituição, utilizando o programa PER/DComp, disponível no sítio da Receita Federal, e fazer a declaração de compensação por meio do programa gerador do PER/DComp Web, informando que o crédito foi detalhado em PER/DComp anterior. Após, seguir as instruções do PER/DComp Web que estão abaixo. No programa gerador do PER/DComp as notas fiscais serão informadas uma a uma, bem os créditos que eventualmente já tenham sido compensados em GFIP. Restará, então, o saldo a restituir, que poderá ser aproveitado no PER/DComp Web.   

FUNCIONAMENTO DO PER/DCOMP Web: No PER/DCOMP Web o contribuinte deverá informar a categoria da DCTF e o período de apuração dos débitos que deseja compensar. Os débitos serão importados automaticamente da última DCTFWeb transmitida pelo contribuinte da categoria e período de apuração informados. O contribuinte deverá, então, informar o valor que deseja compensar de cada débito, limitado ao saldo a pagar constante da DCTF Web. Enviado o PERD/Comp Web, deverá voltar para a DCTFWeb a fim de compensar o crédito, utilizando a função "Abater Dcomp". A função Abater Dcomp possibilita a emissão de DARF com abatimento das DComp enviadas pelo PERDCOMPWeb, sem que seja necessária a retificação da DCTFWeb para incluir o crédito de compensação. Fica disponível apenas nas declarações do tipo Ativa, ou seja, que já tenham sido entregues e estejam válidas. 

Sobre as compensações na DCTFWeb, sugerimos a leitura do Manual da DCTFWeb, a partir da pag.  60, item 12.8. 

  

Para as operações de restituição deve ser utilizado o programa gerador do PERD/Comp.  

  

6 – Paguei o INSS em GPS e não através de DARF. O que fazer? 

  

A partir do momento em que a apuração das contribuições previdenciárias ocorre pela DCTFWeb a guia GPS fica substituída pelo DARF emitido no sistema da própria DCTFWeb. Assim, a partir da competência outubro/2021 os contribuintes não devem mais utilizar a GPS para recolhimento das contribuições previdenciárias sobre folha de pagamento, retenção de 11% nas notas fiscais, contribuição previdenciária sobre a movimentação da produção rural, etc. 

Alguns contribuintes recolheram, indevidamente, as contribuições previdenciárias declaradas em DCTFWeb por meio de GPS. Para este caso há duas alternativas: 

  

a) Fazer o pedido de restituição ou apresentar uma declaração de compensação, via PER/DCOMP Web, disponível no e-CAC. No PER/DCOMP, tanto para o pedido de restituição quanto para a compensação, a empresa deve informar o crédito, ou seja, que se trata de contribuição previdenciária indevida ou a maior, incluindo os dados referentes à GPS paga e o valor do crédito, que, no caso, deverá ser igual ao valor total da GPS. A empresa poderá utilizar esse crédito por meio do PER/DCOMP Web para fazer uma declaração de compensação, informando os débitos declarados na DCTFWeb, por meio de importação dos débitos da DCTFWeb. Cabe esclarecer que são calculados multa e juros de mora quanto aos débitos. 

b) Solicitar na Receita Federal a conversão da GPS em DARF, via Siafi, código 5041. Este DARF objeto da conversão poderá ser ajustado pelo contribuinte no sistema SISTAD, para adequação aos débitos gerados em sua DCTFWeb. No ajuste, não são calculados multa e juros de mora em relação aos débitos. 

  

7 - Fiz pagamento indevido de CPRB por DARF comum (2985 e 2991), sendo que deveria ter utilizado o DARF numerado emitido pela DCTFWeb. Como tirar esses débitos da situação de cobrança pela RFB? 

  

A empresa pode fazer o Redarf simplificado, que é a Retificação do Pagamento solicitada pelo Portal eCAC (Pagamentos e Parcelamentos > Retificação de Pagamento – Redarf > Realizar Pedido de Retificação), e alterar o código de receita para 5041. Após a alteração, o contribuinte deve ajustar o DARF no SISTAD, a fim de abater os débitos em cobrança. Atualmente, os sistemas de cobrança da RFB já reconhecem e vinculam tais pagamentos aos débitos de CPRB declarados na DCTFWeb. No entanto, não é possível importar/vincular este tipo de DARF (comum) na DCTFWeb. 

  

8 – Qual o valor da multa caso não envie a DCTFWeb? 

  

O contribuinte que deixar de apresentar a DCTFWeb no prazo, ou que apresentá-la com incorreções ou omissões, será intimado a apresentar a declaração original, no caso de não apresentação, ou a prestar esclarecimentos, nos demais casos, no prazo estipulado pela RFB, e ficará sujeito às seguintes multas (conforme artigo 14 da Instrução Normativa 2.005, RFB, de 29/01/2021): 

  

I - de 2% (dois por cento) ao mês-calendário ou fração, incidente sobre o montante dos impostos e das contribuições informados na DCTF ou das contribuições informadas na DCTFWeb, ainda que integralmente pagos, no caso de falta de entrega da declaração ou de entrega depois do prazo, limitada a 20% (vinte por cento), observado o disposto no § 3º; e 

II - de R$ 20,00 (vinte reais) para cada grupo de 10 (dez) informações incorretas ou omitidas. 

Redução das multas - As multas serão reduzidas: 

I - em 50%, quando a declaração for apresentada depois do prazo, mas antes de qualquer procedimento de ofício; ou 

II - em 25%, se houver a apresentação da declaração no prazo fixado na intimação. 

III - 90% para o microempreendedor individual; e 

IV - 50% (cinquenta por cento) para a microempresa ou empresa de pequeno porte optante pelo Simples Nacional. 

Multa mínima - A multa mínima a ser aplicada será de: 

I - R$ 200,00 (duzentos reais), em caso de omissão de declaração sem ocorrência de fatos geradores; ou 

II - R$ 500,00 (quinhentos reais),nos demais casos. 

Fonte: coad.com.br